quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Tristeza e felicidade


É coisa da mocidade
ora  ficar contente,
ora  tomado de tristeza?
Mas na maturidade,
com certeza, um ali outro aqui,
se à toa se entristece
tão de repente sorri.

Quem, por um descuido do bordado,
misturou as cores da linha,
nesse oscilante traçado,
e a alegria que vinha,
já vinha com a tristeza ao lado?

Quem  bordou, tão displicente,
esse bordado matizado,
num tempo sem idade?
Quem bordou, na vida da gente,
esse bordado misturado
de tristeza e felicidade?

domingo, 6 de novembro de 2016

Quase...

Quase encontro, perdida procura,
quase  luz, no meio do escuro.
Quase furor, confusa ternura,
quase imploro, quase que juro.
Quase nego a minha loucura,
quase o grito vira sussurro.
Quase mãos entrelaçadas,
quase embargam toda saída.
Quase tudo, de repente, é nada,
quase tudo fica sem vida!