sexta-feira, 13 de junho de 2014

Renascer



Não quero esta flor,
desbotada de amargura,
sem viço, sem frescor,
no torpor da pedra escura.


Quero o sol e o vento,
o néctar na úmida roseira,
cheia de vicejo e alento,
nas entranhas da floreira.


Se já fui quase morrer,
misturada às heras do muro,
quero vida, quero viver.
Do escuro, renasço flor,
pois só flor eu quisera ser...













sexta-feira, 6 de junho de 2014

Por querer-te




Quero-te tanto e não posso,
nem posso dar-te o que queres.
Nada temos, nada é nosso,
o que te magoa me fere.

 
Florália sem nunca florir,
existindo sem nunca viver,
querendo o calado sentir,
querendo o que não pode ter.
 
 
Por querer-te este amor sem fim,
por querer-te me perco e disperso,
por querer-te me perco de mim,
soluçando este amor nos meus versos.

 
Soluçante sou tua poeta,
sou tua poeta errante...



terça-feira, 3 de junho de 2014

Vontades secretas



O que há por trás daquelas montanhas
que a minha vista não alcança?
Haverá vida maior e tamanha
que a minha não conheceu?
Haverá vida que incendeia
a deserta esperança que de mim se escondeu,
ou o sonho que não vivi?
Aquela que não sufoca nem freia
vontades secretas e o riso que não sorri?