quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

serenIDADE


Quanta busca, quanto desencontro
na fase impetuosa dos sentimentos:
a mocIDADE.
ImaturIDADE que nos faz pensar
que é cortina, o que na verdade
é teia...
Tudo acena a aventuras desmedidas,
tudo atiça e desnorteia,
seduz e desarvora...
Mas o tempo é mestre:
ora ruidoso ora silente,
não somente nos envelhece,
também pondera, amaina,
e muito mais nos amadurece.
E tudo passa...
O que antes era furor,
avalanche incessante, 
agora são águas mansas e escorrem
para um rio virtuoso e pleno.
Outro tempo soberano que emerge
nos faz atentos e suaves,
reflexivos e serenos:
serenidade, serenIDADE...