terça-feira, 27 de junho de 2017

O que deixo levar

Parecia geada a chuva branca tão fina,
de vento esquivo, cortante e frio,
umedecendo telhados com densa neblina,
esfumaçando as vidraças à espera do estio.

Também caudalosa, desabo em bueiro,
deixo levar tudo o que eu fantasio,
deixo levar, no furor do aguaceiro,
as dores sofridas e os meus dias sombrios.   





Nenhum comentário:

Postar um comentário