sábado, 26 de dezembro de 2015

O amor que eu temo


Temo aquele amor vago, distraído
que morre, passageiro,
sem se saber por quê...
Temo o amor traiçoeiro e fingido
que mata por querer.
Mais temo, ainda, o amor que finda
sem ter-se dado por inteiro,
se for para ser assim,
prefiro morrer primeiro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário