terça-feira, 3 de março de 2015

Silencioso adeus


Queria dizer-lhe adeus,
nunca mais!
Mas não consigo, não sou capaz.
E para que despedida,
num  tempo que se perdeu,
se já não somos nós nessa partida,
se já estamos sós você e eu?


Nenhum comentário:

Postar um comentário