sábado, 6 de dezembro de 2014

Sua presa


 Sou sua presa grudada nessa teia,
tecida para prender-me eternamente,
mas tão frio o seu olhar me passeia,
com desdém inútil de quem consente.
Se o que é mordaz é também prisioneiro,
quando nega o que é tão evidente,
só confirma e o confessa o tempo inteiro...



Nenhum comentário:

Postar um comentário