domingo, 16 de setembro de 2012

Solidário querer

Quão triste é perceber
que a  tua mão, estendida
 e boa,
só encontra recusa
e  a hostilidade em  riste,
num coração que nunca
 se doa...
Quão triste é sentir-te
a alma incompreendida, desdenhada,
 jogada às feras da ingratidão
 e ver-te sofrer por quem não merece.
Quão triste o abraço
que não te alcança, sem beijo consentido
e nenhum sorriso à tua espera,
tua luta sem glória e quimeras,
só quimeras,  em vez de esperança.
Quisera para ti, ah, quanto eu quisera
as bênçãos de um coração identificado,
teus sonhos realizados
e um final feliz para a tua história...

Nenhum comentário:

Postar um comentário