sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Eterna brandura

TÃO TARDE A NOITE...
LEVO PRA CASA
O SEMBLANTE SOMBRIO,
PORQUE NEM SEMPRE
É DE RISO
O MEU DIA..
SIGO SOZINHA, TACITURNA
E  A ALMA NEFASTA,
MAS SEI QUE  ME ESPERA ALGUÉM
FELIZ QUE ME SORRIA
E HÁ DE SERENIZAR O
FARDO NOTURNO QUE ME EMPASTA.
AO ME ABRIR A PORTA
AQUELES OLHOS
BRILHANDO DE ALEGRIA,
TODA MINHA FORÇA, ANTES
LASSA E MORTA, ME AGASALHA
NA  EUFORIA QUE SE ADVINHA.
E ME DOBRO
E ME ENCOLHO
NO PEITO QUE ME ANINHA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário