quarta-feira, 13 de junho de 2012

Sinto pena (crônica)


      ANDO TOMADA ULTIMAMENTE PELO SENTIMENTO DE PIEDADE. NÃO A PIEDADE COMISERATIVA QUE NOS FAZ PARECER REIS OU RAINHAS E OS DEMAIS, MEROS SÚDITOS QUE AGUARDAM SEQUIOSOS POR MIGALHAS. NÃO, NÃO ME REFIRO A ESSA PIEDADE INÚTIL E PRESUNÇOSA, MAS ÀQUELA PIEDADE QUE ADVÉM DE REFLEXÕES PROFUNDAS E LONGAS QUE ME ABSORVEM TARDE ADENTRO, MADRUGADA AFORA E ME TRANSFORMAM EM INSONE IMPOTENTE. UMA PIEDADE QUE ME DÓI SENTIR, DÓI CONSTATAR, TANTO QUANTO É DOÍDO SOBRE ELA ESCREVER.
     E DÓI-ME A PONTO DE ME SENTIR RESPONSÁVEL E CULPADA POR ELA EXISTIR, COMO SE EU FOSSE A SUA CRIADORA...
     SINTO PENA DAS CRIANÇAS DE HOJE. VEJO-AS PEQUENINOS E ROLIÇOS ROBÔS DE FAST-FOODS QUE SE ISOLAM NOS SEUS QUARTOS, CERCADAS DE TABLETS, IPHONES, NETEBOOKS, À MERCÊ DOS DOIS LADOS DA INTERNET: A INFORMAÇÃO E OS PERIGOS. CRIANÇAS QUE NUNCA SUBIRAM EM ÁRVORES NEM RALARAM OS JOELHOS EM QUINTAIS IMENSOS, QUE NÃO SABEM O QUE É TOMAR BANHO DE CACHOEIRA, ANDAR EM CARRO DE BOIS, NUNCA BRINCARAM DE "QUEIMADA", "BANDEIRINHA", "O QUE É O QUE É?", "ESTÁTUA", "PASSAR ANEL", SENTADAS EM FILEIRINHA NO MEIO-FIO DAS CALÇADAS. QUE NUNCA BANHARAM OS SEU PÉS EM POÇAS-D'ÁGUA QUE SE FORMAM NOS BURACOS DAS RUAS, AO ENTARDECER, DEPOIS DE UM LONGO DIA DE CHUVA. ALIENADAS CRIANÇAS, NÃO COLECIONARAM ÁLBUNS DE FIGURINHAS OU PAPEL DE CARTAS, NEM LERAM MARIA CLARA MACHADO, CECÍLIA MEIRELES, EXUPÈRY E MONTEIRO LOBATO, QUE NÃO VÃO A CIRCO SE ENGASGAR DE RIR COM OS PALHAÇOS DE PÉS DE BORRACHA COM AS CALÇAS RASGADAS E SE ENCANTAR COM AS LINDAS BAILARINAS EQUILIBRISTAS DE SOMBRINHA, QUE, PARA ALÍVIO DOS CORAÇÕEZINHOS INFANTIS, JAMAIS CAÍRAM DAQUELA CORDA BAMBA ASSUSTADORA.
     SINTO PENA DESSAS CRIANÇAS QUE MUITO CEDO DESCOBREM QUE PAPAI NOEL NÃO EXISTE. E UMA PENA ANTECIPADA PELOS ADULTOS QUE ELAS SERÃO...
     SINTO PENA, MUITA PENA DOS QUE CONDUZEM SUAS VIDAS NO DESCASO, NA OMISSÃO, NA ARROGÂNCIA E NA NEGLIGÊNCIA.
     SINTO PENA DOS IRÔNICOS, DOS SATÍRICOS, DOS DEBOCHADOS EM SUAS RETÓRICAS INÚTEIS, INFÉRTEIS E IMPRODUTIVAS QUE NÃO CONSTROEM E NÃO LEVAM A NENHUM LUGAR.
    SINTO PENA DOS INSENSÍVEIS, DE SUA INCAPACIDADE DE SE ENTERNECEREM E DE NÃO PROMOVEREM A TROCA DA AFETIVIDADE SINCERA: O CALOR HUMANO.
    SINTO PENA DOS QUE OSTENTAM A FUTILIDADE, E SE ENGRANDECEM. MAIS PENA AINDA SINTO DOS QUE OS BAJULAM, APLAUDEM E LHES ESTENDEM UM TAPETE ILUSÓRIO.
    SINTO PENA, SINTO MUITA PENA DE QUEM NÃO TEM ESPERANÇA, NÃO ACREDITA E NÃO TEM FÉ...
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário