terça-feira, 8 de novembro de 2011

Saber Envelhecer (crônica)


Saber envelhecer é olharmos no espelho sem medo do que vamos ver, porque, as rugas, a flacidez, os cabelos brancos já nos parecem, agora, muito mais uma conquista do que constrangedora punição. 
     Saber envelhecer é não nos envergonharmos por algum esquecimento, como data de aniversários, ou por trocarmos os nomes dos nossos filhos, parentes, amigos ou namorado...
      Saber envelhecer é conquistarmos o amor das pessoas pelo que somos, sem nos importar se impressionamos com o que temos e cuidar apenas de sermos compreendidos, sem  arrogância, autoridade e soberba, que machucam... Porque se aprende, a duras penas, envelhecendo, que tão-somente a brandura é bem-vinda, convincente e arrebanhadora...
       Envelhecer nos acumula de conhecimentos, mas só o envelhecer com nobreza nos traz sabedoria. E somos sábios, quando atentamos para o momento de silenciar, onde o diálogo está exaltado.
        Quando diante de quem não nos quer mais, não impomos, ameaçadoramente, a nossa presença, violando o espaço do outro.
         Quando não abandonamos nosso amor próprio, a nossa dignidade, apenas para contentar alguém, porque se aprende, envelhecendo, que cumplicidade se faz com harmonia de pensamentos, e ela é naturalmente solidária... 
          Somos sábios, quando nos damos conta de que sair da vida de alguém deve ser tão manso quanto chegar: sem alarde, sem questionamentos...
           Somos sábios, quando aprendemos a diferença entre o  por que não?, imperioso, e o porque sim, reflexivo.
            Somos sábios, quando descobrimos a beleza da solitude com alegria incomensurável na alma. Que estar só assusta apenas os atormentados, e nem sempre significa solidão. A solidão se reveste de amargura, autopiedade e arrependimento e estar só, de placidez, autoestima elevada e valorização, na medida certa, dos momentos vividos com qualidade.
              Somos sábios, acima de tudo, quando aprendemos a ser sós. E nunca está só quem está em paz consigo mesmo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário