quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Clara Ousadia

VEM DE ONDE ESSA VORACIDADE
EM DECIFRAR-ME?
DE IR  MAIS ALÉM,
MUITO MAIS DO QUE EU DEVIA?
DE ROMPER MINHAS BARREIRAS,
COMO SE FOSSEM TÊNUES CRISTAIS?
REMEXO NO MEU ABISSAL, AFASTANDO
AS ALGAS QUE ME ENCOBRIAM
E ME VASCULHO,
NESSE MERGULHO ABUSADO
E FUNDO DE MIM.
QUANDO VENHO  À TONA
DA MINHA OUSADIA,
NÃO ME SURPREENDO COM A DESCOBERTA.
TUDO ESTAVA TÃO CLARO,
 EU É QUE NÃO VIA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário